July 5, 2009
                           Ensina as criancinhas mais de uma lingua



                                      Cientista alemã explica o dom de aprender idiomas


Ninguém consegue aprender línguas como os recém-nascidos, afirma pesquisadora
Entre os humanos são eles que possuem a maior facilidade para aprender línguas, mesmo sem conseguir formar uma
frase. A lingüista e psicóloga Angela Friederici explica a genialidade lingüística dos recém-nascidos.

Recém-nascidos – e somente eles – podem aprender qualquer língua do mundo. Um potencial que desaparece e deve
ser aproveitado por pais e educadores antes que os bebês aprendam sua língua materna.

Isto é o que afirma Angela Friederici, lingüista e diretora do Departamento de Neuropsicologia do Instituto Max Planck de
Neurociências Cognitivas em Leipzig.

A cientista Angela Friederici"Os bebês dividem em duas categorias tudo aquilo que papai, mamãe, titio e titia lhes falam:
na primeira entra aquilo que eles sempre escutam, na segunda vai o resto", afirma a especialista. Cada língua possui
uma melodia característica ou, em uma linguagem mais científica, uma prosódia, ou seja, o francês soa bem diferente
do russo. Mas a partir de quando os bebês conseguem fazer esta distinção?

Gênios já aos quatro dias

"Já a partir dos quatro dias de vida, os bebês conseguem fazer esta distinção, o que ficou demonstrado em um teste
chamado de 'experimento chupeta'. Quando estão desinteressados, eles diminuem o ritmo de como chupam sua
chupeta. Ao escutar a entoação prosódica de uma outra língua, eles o aumentam. Isto demonstra que as crianças
conseguem distinguir informações acústicas", comenta Friederici.

A cientista explica que os bebês se interessam somente pelo novo, pelo desconhecido, mas o que fica é somente aquilo
que lhes é sempre repetido, ou seja, os sons de sua língua materna. O resto já foi reprimido e esquecido logo no
primeiro ano de idade.

Quem quiser aproveitar este potencial do bebê, afirma Friederici, deve começar a lhe falar em várias línguas desde seu
primeiro dia de nascido. Entretanto, cada língua deve ser falada sempre pela mesma pessoa, assim a criança poderá
aprender dois ou mais idiomas sem grandes esforços.

Esperar pela alfabetização pode ser tarde

Quanto mais cedo se aprende uma língua, melhorSegundo a pesquisadora do Instituto Max Planck, esperar que as
crianças entrem na escola para o aprendizado de línguas pode ser muito tarde. "Existem pessoas que afirmam que
somente se pode ser completamente bilíngüe se as línguas tiverem sido aprendidas até os seis anos de idade. Quanto
mais avançada a idade, mais difícil é para as crianças aplicarem corretamente os parâmetros prosódicos e
fonológicos", explica Angela.

Todo aquele que não cresceu com várias línguas sabe que basta abrir a boca para ser identificado como alguém de
origem estrangeira. Claro que há pessoas que falam uma língua estrangeira como se tivesse crescido com ela, mas
são casos excepcionais. Os sons de uma outra língua são estranhos e sua melodia, uma arte. Além disso, faltam ao
falante vocabulário e as sutilezas gramaticais.

Friederici explica que é justamente a gramática o que o cérebro primeiramente analisa quando se escuta uma frase, e
não o significado das palavras.Isso já foi constatado há muitos anos pela cientista em seus estudos, que lhe garantiram
o renomado Prêmio Leibniz da Sociedade Alemã de Pesquisa (DFG) há nove anos.

Resultado do estudo Pisa impulsionou discussões lingüísticas

Os resultados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) impulsionaram as discussões em torno do
aprendizado de idiomas, que começa de maneira geral no ensino fundamental. A tendência agora na maioria dos países
da União Européia é inserir uma língua estrangeira também no ensino de outras matérias.

Ou seja, os alunos aprendem francês, por exemplo, não somente na aula de francês mas também na aula de História ou
Geografia. Além disso, quem começa o aprendizado de um novo idioma quando adulto tem que aprender com maior
rapidez a se comunicar de forma mais complexa do que somente "eu me chamo", "eu moro na" ou "tchau", afirma
Angela Friederici.

Ingun Arnold (ca)

O artigo foi tirado no site da Voz de Alemanha DW
Quinquim
July 5, 2009
UM LUGAR  DA COMUNIDADE E PARA COMUNIDADE
SOCIO-CULTURAL
Dez 9, 2009

Aí vai um desafio para quem quiser testar os seus conhecimentos de
Língua Portuguesa.

Trata-se de um teste realizado num curso da American Airlines. Na frase seguinte deverá ser colocadoUM PONTO
FINAL e DUAS VÍRGULAS  para que a frase tenha sentido.
PENSE antes de ver a resposta que está no final da página. Afinal, assim, não seria um teste.
MARIA TOMA BANHO PORQUE SUA MÃE
DISSE ELA DÊ-ME A TOALHA.
OBS.: pense, não olhe a resposta  em baixo,   antes de
tentar acertar a resposta.
 

RESPOSTA:

'Maria toma banho porque sua. Mãe, disse ela, dê-me a toalha.'


*A 'rasteira' está no facto do uso do verbo suar, confundindo com o pronome possessivo (sua)... A Língua Portuguesa
é mesmo traiçoeira...


SECAMAR-CDOC
Matos Pais
SMOR ETC
Tel.210954303                   314839