UM LUGAR  DA COMUNIDADE E PARA COMUNIDADE
Porque nao descontrair um pouco e rir mais, mandando
o stress para uma gaiola, ao fim ao cabo, somos donos
de nós mesmos.
SOCIO-CULTURAL
                                         QUE É GLOBALIZAÇÃO ? *
             É a melhor definição que já vi e os professores nunca ensinaram...
                  SIMPLESMENTE  FANTÁSTICA A DEFINIÇÃO.

Pergunta: Qual é a mais correta definição de Globalização?

Resposta: A Morte da Princesa Diana..

Pergunta:
Por quê?

Resposta: Uma princesa inglesa com um namorado egípcio, tem um acidente de carro dentro de um
túnel
francês, num carro alemão com motor holandês, conduzido por um belga, bêbado de whisky
escocês
, que era seguido por paparazzis italianos, em motos japonesas. A princesa foi tratada por um
médico
canadense, que usou medicamentos americanos. E isto é enviado a você por um brasileiro,
usando tecnologia
americana (Bill Gates) e provavelmente, você está lendo isso em um computador
genérico que usa chips feitos em
Taiwan e um monitor coreano montado por trabalhadores de
Bangladesh
, numa fábrica de Singapura, transportado em caminhões conduzidos por indianos,
roubados por
indonésios, descarregados por pescadores sicilianos, reempacotados por mexicanos e,
finalmente, vendido a você por
chineses, através de uma conexão paraguaia
Isto é, *GLOBALIZAÇÃO!!!*

                             QUEM SOU EU?   

Nesta altura da vida já não sei mais quem sou...
Vejam só que dilema!!!
Na ficha da loja sou
CLIENTE, no restaurante FREGUÊS, quando alugo uma casa INQUILINO, na
condução
PASSAGEIRO, nos correios REMETENTE, no supermercado CONSUMIDOR.

Para a Receita Federal
CONTRIBUINTE, se vendo algo importado CONTRABANDISTA. Se revendo algo,
sou  
MUAMBEIRO, se o carnê tá com o prazo vencido INADIMPLENTE, se não pago imposto
SONEGADOR. Para votar ELEITOR, mas em comícios MASSA , em viagens TURISTA , na rua caminhando
PEDESTRE
, se sou atropelado ACIDENTADO, no hospital PACIENTE. Nos jornais viro VÍTIMA, se compro
um livro
LEITOR, se ouço rádio OUVINTE. Para o Ibope ESPECTADOR, para apresentador de televisão
TELESPECTADOR
, no campo de futebol TORCEDOR.

Se sou corintiano,
SOFREDOR. Agora, já virei GALERA. (se trabalho na ANATEL , sou COLABORADOR ) e,
quando morrer... uns dirão...
FINADO, outros... DEFUNTO, para outros... EXTINTO , para o
povão...
PRESUNTO... Em certos círculos espiritualistas serei... DESENCARNADO, evangélicos dirão que
fui...
ARREBATADO...

E o pior de tudo é que para todo governante sou apenas um
IMBECIL !!! E pensar que um dia já fui mais
EU.

Luiz Fernando Veríssimo.
==========================================================================================================
               Planos para o futuro...?

Uma galinha, prazenteira e sempre oferecida, põe um dia um ovo de meio quilo.
Jornais, televisão, repórteres....vão todos atrás da galinha.

- Como conseguiu esta façanha, Sr ª Galinha?
- Segredo de família...
- E os planos para o futuro?
- Pôr um ovo de um quilo!
Então, as atenções voltam-se para um canto onde está o Senhor Galo, absorto em profundos
pensamentos, de olhos semi-cerrados...
- Como conseguiram tal façanha, Sr. Galo?
- Segredo de família...
- E os planos para o futuro?
-
PARTIR OS CORNOS AQUELE PERÚ FILHO DA PUTA!!!!

========================================================================

A Freira e o Taxista

Uma freira faz sinal para um táxi parar.

Ela entra e o taxista não pára de olhar para ela.
- Por que você me olha assim?

Ele explica:
- Tenho uma coisa para lhe pedir, mas não quero que fique ofendida...

Ela responde:
- Meu filho,sou freira há muito tempo e já vi e ouvi de tudo.

Com certeza, não há nada que você possa me dizer ou pedir que eu ache ofensivo.

- Sabe, é que eu sempre tive na cabeça uma fantasia de ser beijado na boca por uma freira...

A freira:
- Bem, vamos ver o que é que eu posso fazer por você:
primeiro, você tem que ser solteiro, belenenses e também católico.

O taxista fica entusiasmado:
- Sim, sou solteiro, do Belem desde criança  e até sou católico também!

A freira olha pela janela do táxi e diz:
- Então, pare o carro ali na próxima travessa.

O carro para na travessa e a freira satisfaz a velha fantasia do taxista com um belo beijo na boca.
Mas, quando continuam para o destino, o taxista começa a chorar.

- Meu filho,diz a freira, porque estas a chorar?
- Perdoe-me Irmã, mas confesso que menti: sou casado, do Sporting  e sou espírita.

A freira conforta-o:
- Não faz mal, estou a caminho de um baile de mascaras , chamo-me Alfredo e sou do Porto!
O JIPE

Um jovem cumpria o seu dever cívico prestando serviço ao exército, mas era
ridicularizado por ser cristão.

Um dia o seu superior hierárquico, na intenção de humilhá-lo na frente do
pelotão, pregou-lhe uma peça...

- Soldado Coelho, venha até aqui!
- Pois não Senhor.

- Segure essa chave. Agora vá até aquele jipe e o estacione ali na frente.
- Mas senhor, o senhor sabe perfeitamente que eu não sei dirigir.

- Soldado Coelho, eu não lhe perguntei nada. Vá até o jipe e faça o que eu
lhe ordenei...
- Mas senhor, eu não sei dirigir!

- Então peça ajuda ao seu Deus. Mostre-nos que Ele existe.  
O soldado não temendo, pegou a chave das mãos do seu superior e foi até o
veículo.

Entrou, sentou-se no banco do motorista e imediatamente começou sua oração.  
"Senhor, tu sabes que eu não sei dirigir. Guie as minhas mãos e mostre a
essas pessoas a sua fidelidade.

Eu confio em Ti e sei que podes me ajudar. Amém"

O garoto, manobrou o veículo e estacionou perfeitamente como queria o seu
superior.
Ao sair do veículo, viu todo o pelotão chorando e alguns de joelhos...

O que houve gente? - perguntou o soldado.
- Nós queremos o teu Deus, Coelho. Como fazemos para tê-lo? Perguntou o seu
superior.

- Basta aceitá-lo como seu Senhor e Salvador. Mas porquê todos decidiram
aceitar o meu Deus?

O superior pegou o soldado pela gola da camisa, caminhou com ele até o jipe
enxugando suas lágrimas.

Chegando lá, levantou o capô do veículo e o mesmo estava sem o motor!

DEUS CUIDA DOS SEUS E NÃO PERMITE QUE NINGUÉM NOS HUMILHE.
SEJA VOCÊ TAMBÉM UMA SEMENTE DE JESUS E VOCÊ SEMPRE COLHERÁ O BEM!
Espere...

Oração:
No tempo de Deus (que não é o seu) aquilo que você tanto almeja ser-lhe-à
dado.
Se você está passando por provas, não se desespere.
O Senhor está formando seu carater... e no tempo certo Ele lhe dará a
vitória.
Amém.

Deus tem visto suas Lutas!
Deus diz que elas estao chegando ao fim.
Uma bençao esta vindo em sua direçao.

Envie de coração... de forma livre... à quem seu coração direcionar!

DEUS É DEUS...SEM VOCÊ !!      E VC, QUEM É SEM DEUS...?  NADA!

"Todo caminho que trilhamos tem seu destino, basta a nós escolhermos o rumo
certo."
adalto@telefonica.com.br
VELÓRIO DE MÉDICOS!!! ESSA É BOA!!!!

FUNERAL DO CARDIOLOGISTA

Um cardiologista muito famoso na cidade morreu.

Seu funeral foi muito pomposo e muitos de seus colegas médicos compareceram.

Durante o velório, um enorme 'coração', rodeado de coroas de flores, permaneceu atrás do caixão...

Após as últimas palavras do Padre, o coração se abriu e o caixão entrou automaticamente no enorme
coração,                       
emocionando a todos os presentes.

O coração se fechou, levando no seu interior o famoso médico para SEMPRE.

Um dos presentes explodiu em gargalhada, causando surpresa e indignação.

Questionado por que ria, ele explicou:

- Desculpem-me... Por favor, desculpem-me.... É que eu estava pensando como seria meu funeral....

SOU GINECOLOGISTA!
Autor desconhecido
Julho 26, 2010
                                      MOTA & MOÇA

És stória é propí verdade, foi nha compadre ki contam, el frá ma é cé sobrinho qui fral el. Dispos kel contam es stória mi atchá
ma ndebé dixá otos  arguem sabé também  pa   podé discontraí um pouco  e pá lembra ma ku cabeça frio du ta pensa más
dreto.

Eh sim: Na freguesia de Santa Catarina, Fogo,  um dia guentes dá um badju unde bai tcheu arguem convidados, bem bistido,  
tanto homi e mudjer,  festa era di tardinha  té madrugada.  

Naquel tempo,   mais ou menos na meados de anos sassenta  pa oitenta  quem ki tinha mota ó carro, era  distinguido e tinha
mas prioridade  di ranjaba moças e amigos.

Bem, continuando ku es stória, tinha és rapaz ki kria bai es badju pamodi stába ta bai lá moças bonitas, e também pamodi  
tinha toca di gira discos que era stranho nakel tempo.  

El pensa bem pensado.  Primero el pista na cé amigo   luvas pretos, staba bedjo mas di noite ka ta notaba muto, el bai na otu
amigo ki era Professor el fral si el podeba emprestal cé capacete; cé amigo pensa  ki el staba ta mesté capacete pa el fazé
argun viage di boleia ku otu arguén, mas mesmo assim cé amigo  pistal  e el fica contente, el fral obrigado  e el segui caminho
pa casa,  el bái prepará pa bái pa és festa.

Na caminho kel sta bái el fra sim: agora djan podé bai la sem nenhum disconfiança pam passá um noti sabe.

Li di tarde  quase di noite el tuma cé banho el bistí dreto, dispos el bái dismarrá cé burro ki staba bem tratado, el pó cé  luvas
preto na mon, el pó cé capacete di cor preto e branco ku risco azul ki cé amigo emprestal, el montá cé burro, el da costa riba
pa casa di festa.

Antes di el tchigá casa di festa el bai num kobom,  el marrá cé burro num árvore bem marrado, el subí um ladera e dispós el
subí scada di pato di casa, el atchá amigos na rua ta prepará pa dentra sala di badju.

El frá amigos mantenhas,   és perguntal na unde el dixá mota, el frá ma mota fica na lado di strada más báxu.

Dispos de um curto conberso és dentrá casa djunto di otus convidados qui stába ta tchigá na kel ora,  mas  el logo ki el  
dentrá  na sala di bádju  el perguntá dono di casa na unde el ta pó cé capacete  e luvas, pa ka perdé.  Dispos kel guardá tudo, el
dentrá sala di badju, staba ta tocá um musica rapikado, era um koladera mesmo sabi, logo el odjá um moça morena bonita el
dál mon e el convidal pa um peça di badju, sem fral nada moça logo labatá fácil pa badjá kuel; dispós que koladera kabá toca
logo bem otu a seguir   ki ká dal tempo pá el trocá par,  quase tudo kes otus moças staba ku odjos na el.

Nes koladera el fazé muto mas colocú, até el djobé canta, mas como el kréba badjába ku otu moça por isso logo que koladera
terminá el pó moça na sentu el bai pa porta tuma um fresco.

El torna dentra sala di badju, el odja tcheu moças ki ka stába ta badjá, embora stába tcheu rapazes la. El proximá pa convida
otu moça pa un dança,  moça labantá fáci pa um dança.  

Kantu musica termina el saí na rua pa papiá ku amigos,  es konkordá pa tuma um grogue,  dispós es entra otu bés na badju.
Tocado um morna, tudo moças fica ta spia pa el pa odjá kenha ki el  ta trá ba badjá.

Dés bés el pegá fidja di um representante de  Partido   ki ca ta badjába ku tcheu arguem,    mas el  quasi el passa noti ta badjá
kuel.
Na madrugada bádjo dja stába na fim, el lembrá di cé capacete e luvas, mas mesmo assim el proveita kel último peça e el
promoté kel fidja di representante de Partido  ma el ta bai panhal um dia na mota pa es bai Bila.   

Quase tudo arguém dja saíba pa bai pa casa, el també el sai ku capacete na cabeça e luvas na  cé mon.
Kantu el bem dismarrá cé burro, staba um pouco  sukuro, só arguns strelas na ceu, el fra sim: Ah djan lembra, é na kel otu
arvore kin marrá nha burro,   el bai spia  mas ca staba nem sinal di burro nem nada;  tristimenti el baza pé di la té ki el tchiga
cé casa, dja stába quasi di parmanhan, el ka dromi pamodi el tinha ki lebába capacete e luvas pa cé dono.  

Na fim, kanto el bem casa el atchá cé burro na quintal ta spera pa el.
Nota:
Stória verdaderu  ca podu nome de areguen  mas djan sabé nomes e lugares kel kontice
Quinquim
Randolph MA USA
                              AS VELHAS SABEM TUDO

Num tribunal de uma pequena cidade, o advogado de acusação chamou a sua primeira testemunha;
uma avó de idade avançada.

Aproximou-se da testemunha e perguntou:

- D. Ermelinda, a senhora conhece-me?

- Claro. Conheço-te desde pequenino e francamente, desiludiste-me. Mentes descaradamente,
enganas a tua mulher, manipulas as pessoas e falas mal delas pelas costas. Julgas que és uma grande
personalidade quando não tens sequer inteligência suficiente para ser varredor. É claro que te
conheço.

O advogado ficou branco, sem saber que fazer. Depois de pensar um pouco, apontou para o outro
extremo da sala e perguntou:

- D. Ermelinda, conhece o defensor oficioso?

- Claro que sim. Também o conheço desde a infância. É frouxo, tem problemas com a bebida,
não consegue ter uma relação normal com ninguém e na qualidade de advogado, bem... é
um dos piores que já vi. Não me esqueço também de referir que engana a mulher com três
mulheres diferentes, uma das quais, curiosamente, é a tua própria mulher. Sim, também o conheço. E
muito bem.

O defensor, ficou em estado de choque.

Então, o Juiz pediu a ambos os advogados que se aproximassem do estrado e com uma voz
muito ténue diz-lhes:

- Se algum dos dois perguntar à velha se me conhece, juro-vos que vão todos presos.
7 Maio 2011   
Alentejano no tribunal

*Porque o Juiz deve ouvir as duas partes. **

Ti Maneli, alentejano de Castro Verde, pensou bem e decidiu que os
ferimentos que sofreu num acidente de trânsito eram sérios o
suficiente para levar o dono do outro carro ao tribunal. No tribunal,
o advogado do réu começou por perguntar ao Ti Maneli:

- O Senhor na altura do acidente não disse "Estou óptimo"?

Ti Maneli responde:

- Bem, eu vou contar o que aconteceu. Eu tinha acabado de colocar
minha mula favorita na camionete...

- Eu não pedi detalhes! - Interrompeu o advogado. - Responda somente à
questão:

- O Senhor não disse na cena do acidente: "Estou óptimo"?

- Bem, eu coloquei a mula na camionete e estava descendo a rua...

O advogado interrompe novamente e diz:

- Meritíssimo, estou tentando estabelecer os factos. Na cena do
acidente este homem disse ao soldado na GNR que estava bem. Agora,
várias semanas após o acidente ele está tentando processar meu
cliente, e isto não pode ser. Por favor, poderia dizer-lhe que deve
responder somente à minha pergunta.

Mas, nesta altura, o Juiz mostra-se muito interessado na resposta do
Ti Maneli e diz ao advogado:

- Eu quero ouvir a versão dele.

Ti Maneli agradece ao Juiz e prossegue:

- Como ê estava dizendo, coloqi a mula na caminete e estava
descendo a rua quando uma pick up passou o sinal vermelho e bateu num
lado da minha caminete. Eu fui lançado fora do carro para um lado da
rua e a mula foi lançada pro outro lado. Eu fiquei muito ferido e mal
me podia mexer. Mas eu conseguia ouvir a mula zurrando e grunhindo e,
pelo barulho, percebi que ela estava muito ferida. Em seguida chegou o
soldado da GNR. Ele ouviu a mula gritando e zurrando e foi ver como
ela estava. Depois de ter olhado bem para a mula, abanou a cabeça,
pegou na pistola e deu-lhe três tiros. Depois ele atravessou a estrada
com a arma na mão, olhou para mim e disse:

- Sua mula estava muito mal e eu tive que a abater. E o senhor, como é
que se está a sentir?

- Aí ê pensi bem e disse: ..... Eu?.Estou óptimo.... Porra ia dizer que
tava mal, não ???

Autor desconhecido